Paraisópolis, bairro de São Paulo, em chamas.

via Incêndio de grandes proporções atinge Paraisópolis — VEJA.com

Blogue de Filosofia 2010. Liberdade de Pensamento e Expressão. Aulas e Lições para Pequen@s Filósof@s

Pensar é algo inquietante, sério e cansativo, mas que se faz necessário se quisermos minimizar as dificuldades durante a nossa existência.  A imagem do Cérebro, abaixo, parece indicar a árdua tarefa que deve acompanhar os seres humanos.

Visite o blogue. Sinta-se à vontade. Você é muito bem-vind@!

Profa. Maria Lúcia Dário

Fixo 2 (14). FiLoSoFiA no Brasil? Venha ver.

LIEBSTERBLOGAWARD MLD

Este é o Brasil de milhões de brasileiros. 

Fazer filosofia, aqui, só pode ser observar, pensar e agir no mundo real.

Para mim, é assim que a filosofia tem sentido; é assim que ela cumpre o seu papel.

TITÃS – ‘COMIDA’

Antropologia e Filosofia da Arte. A trajetória do FUNK em São Paulo. Hermano Vianna

‘Há quase 30 anos o antropólogo, Hermano Vianna, começou uma pioneira investigação sobre a cultura dos bailes de sua cidade que foi se transformar no livro “O mundo funk carioca” (inspiração, aliás, para o título deste especial). Desde então, as batidas do gênero já foram bem além das fronteiras do subúrbio do Rio, ganharam uma cara própria na rival São Paulo e continuam a se transmutar.’

http://especiais.g1.globo.com/sao-paulo/o-mundo-funk-paulista/qual-o-futuro-do-funk.html

REFLEXÕES

1- Dentre os gêneros musicais mais à frente, qual o seu preferido: Rock, Pagode, Forró, Funk, Sertanejo, Clássico, Rap, Pop ou HipHop? Por quê?

2- Qual a preferência musical da sua família? Será que isso interfere na sua preferência também?

3- Você frequenta bailes onde o seu gênero musical favorito é tocado?

4- Entre o Sertanejo e o Pagode, que são brasileiros, qual você escolheria? Por quê?

5- Por que muita gente diz que o Funk e o Rap são gêneros musicais ‘imorais’? O que faz com que as pessoas tenham esta ideia?

6- Você gostaria de compor um Rap? Qual seria o tema central?

Em seguida, elenque algumas perguntas para os debates em sala de aula.

Quem é curioso sabe mais. Quem é curioso vai mais longe.

‘Por Uma Pedagogia da Pergunta’

Paulo Freire

FILOSOFIA da ARTE. FoToGraFiA UrBaNa.TUCA VIEIRA

LIEBSTERBLOGAWARD MLD

A Tuca Vieira, fotógrafo independente, artista e autor da famosa imagem, que eu chamo de¨Paraisópolis e Morumbi¨, prazer em conhecê-lo e parabéns pelos seus trabalhos.

O artista está expondo suas obras na Galeria Mario Schenberg – Complexo Cultural Funarte São Paulo.
Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos – São Paulo (SP).

De 19 de novembro a 16 de dezembro | De segunda a quinta, das 10h às 18h; de sexta a domingo, das 15h às 21h. Entrada franca.

¨A exposição propõe uma reflexão sobre temas contemporâneos, como o excesso de imagens, o voyeurismo, o mapeamento e a tecnologia digital. “Tenho fascínio pela imagem do Copan e penso que o fotógrafo deve mostrar o que as pessoas não veem”, diz o artista. “Na exposição, quis mostrar quantas fotografias pode haver dentro de uma só”, completa. “Os conceitos de fragmentação e de desconstrução estão presentes desde o princípio, já que o próprio edifício é uma construção e cada janela, um fragmento”, diz Tuca. “Há um jogo de montagem e desmontagem dessa imagem, que é o próprio conceito do trabalho. Cabe ao observador compor e recompor o edifício em sua imaginação”.¨

http://www.funarte.gov.br/artes-visuais/funarte-sp-recebe-exposicao-de-tuca-vieira/

http://www.tucavieira.com.br/